Querem ver o que temos lá no coisinhas da chica?

Querem ver o que temos lá no coisinhas da chica?
Basta clicar!

Querem ver o que temos no chica brinca de poesia???

Querem ver o que temos no chica brinca de poesia???
Cliquem pra ver!

♥ Revelação......



Lia , agora na velhice, passava os dias fazendo  tricot.

Eram tiras longas, de cores diversas, emendadas umas nas outras.

Ali ficava.

A família ,curiosa, indagava o que seria aquilo.

-Ao tempo certo, saberão! Dizia.

Um dia, não mais trabalhou.
Sentiu que ia morrer...
Chamou os filhos e avisou que ali, no seu trabalho, estavam os segredos do passado.

- A cada cor, um amor...

_E por que o final foi todo em preto?

_Foi o tempo que passei  com o pai de vocês!

chica



♥Janelas e o modo de olhar... ♥




Na infância:

O que olhas tão pensativa?
em que estás a pensar?
Sai da janela, menina
Vai lá fora,correr e brincar...

Na Juventude:


O que olhas tão pensativa?
Em que estás a pensar?
É teu amor que demora
calma,ele logo vai passar!

Na idade adulta:



O que olhas tão pensativa?
Em que estás a pensar?
São teus filhos que demoram
e não te deixam descansar?

Na velhice:


O que olhas tão pensativa?
Em que estás a pensar?
Na vida que te deixa menos ativa
mas ainda queres brincar?


Reflexão sobre esses olhares:

Por isso, todos devemos
aproveitar e muito brincar...
A vida lá fora rápido passa
e ela está nos esperar...

Abrir a janela e portas
fazer de tudo, aproveitar!!!

Estudos , trabalhos, amores
cada segundo bem vivendo
antes que a cortina se feche...
deixando apenas as saudades em flores...





♥ Na vida... ♥



Um chá de maracujá
 um livro na mão
a fariam esquecer
que a vida andava de roldão...

Assim, o chá ela bebia
 gole a gole
 entre letras,palavras, páginas...

 Só o que ela, parece não sabia...
A vida assim, era ela quem a deixava...

Precisava acordar
precisava se acalmar...

A vida segue o rumo, 
agitada ou colorida ...

Saber cada passo dar
faz tudo melhor ficar!

chica





♥ Espera ... ♥



Tudo na casa preparado
Coração já agitado...

A campainha vai tocar
Ele logo há de chegar!

Passa o tempo,cresce a dor
Será que não vem? Ai que  horror!

O silêncio ali reinava
 apenas o tic-tac , se escutava!

Barulho que era tão acusador
Haveria sido esquecida pelo seu amor?

O livro, seu companheiro
também na mesa foi deixado...

As letras já eram turvas
 o sono , para cama lhe mandou!

Ao acordar, manhã seguinte
O livro aberto denunciava...

Ali, a cadeira, assento amigo,
naquela inútil espera, lhe amparara!

Mas hoje, diferente tudo seria...
No horário, de sempre marcado, ele apareceria...

Assim, seguia Maria, vivendo com sua ilusão...

Quando daquele sonho acordaria?
Quando para outro abriria seu coração?

chica




♥ Dona Fofó e a festa... ♥




Uma festa programada.

Dona Fofó nem lembrava mais.

Nos últimos dias, dá-se conta que seu vestido " de morrer" devia estar um pouco fora de medidas. Ele havia "encolhido"...

Longe de sua vontade e característica, fazer fricotes.

Numa ida ao supermercado num pequeno shopping, avista em letras garrafais que iniciam com M e terminam com ARISA...

 _ Oba!  Pode ser que por aí encontre algo.

Chega sem muita vontade, vasculha daqui, lá na parte das roupas para "avantajadas" e não é que encontra um pretinho básico, lindo, simples, a sua cara.

Sem pestanejar, arrecada...

Vai ao provador e como é cegueta, precisa sair porta afora para de longe se ver melhor.

Nessa inocente saidinha  chega uma outra robusta e ao ver Dona  Fofó com aquele vestidinho , pretinho, que lhe caia bem, sem ser perguntada disse:

_ Tem um furo ali ao lado!

_Putz grilo!! Pensa Fofó ,não sem antes pensar que aquela "Zoiuda" estava louca que ela o largasse para depois provar e levar.

Assim, ela respondeu:

_ Ah! Obrigada!  Não é um furinho , é apenas uma descosturadinha. Nada que uma agulha não resolva! Deve ter sido porque alguém quis colocar" Amazonas dentro de Sergipe"!..

Enquanto dava mais uma olhada no espelho, aprovando o bom achado ( BBB, bom,bonito e barato),teve uma ideia.

 Foi adiante, em outro setor da loja e comprou um modelador.
Esse, certamente, iria disfarçar os pneuzinhos, parecendo o bonequinho do Michelin ,sabem qual é? É o que ilustra o post!

Chega o dia da festa.
Banho tomado, já "sinchada" com aquele modelador, coloca o vestido. UAU!  Que legal!

Marido chega perto dela e ela se esquiva. Não quer que ele sinta aquela coisa dura, pois iria ficar procurando as "carnes"...( Ou banhas?rs)

Vão à festa, chegam ela sentindo-se  tri bem!

Iniciam-se os comes, espetinhos, coisinhas tri deliciosas, depois os docinhos, tortinhas, tudo "inhos"( agora á moda)...

Ela passou a ter uma tremenda dor de cabeça, sentia-se como se fosse explodir...

Nem pestanejou mais...

Foi até o toalete, tirou o vestido, o "maledeto" modelador. Recoloca o vestido, claro! E agora? Onde meto isso tudo?  Sobra pano aqui, pensa!

Sua bolsa, de festa, era pequeninha, não cabia nem uma perna dele...

_O que fazer? O que fazer?
Deixa-o num cantinho, ali sozinho, abandonado...

-Tchauzinho!  Foi bom enquanto durou!

 Sai do banheiro leve, livre, sooooooooooooooolta...

-Oba!  Cheguei na hora !! Estão repassando os canapés de camarão!  Vou me atracar!  E assim o fez, sem culpas, sem nada mais pensar.

Algo a confortou.

Não sou mais menininha, tenho maridão há séculos, não preciso competir com ninguém. Vamos que vamos!

 Assim, conseguiu, do seu jeito, completamente alegre, espontânea, curtir o resto da festa...

Antes da hora de ir embora, deu uma passadinha no toalete e não é que o danado estava lá?

Agora, fez das tripas o coração, espremeu e colocou dentro da bolsinha...

Assim, nada foi perdido, nem a festa, nem a diversão e nem mesmo o maledeto que, provavelmente, nunca mais será usado, mas pelo menos, vai pra sua casinha,rs...

(((o)))o(((o)))o(((o)))

* Tenho certeza que a Ivani se por aqui passar vai imaginar que eu sou a D.Fofó,rs... Apenas inspiração, baseada, CLARO, num fundinho de verdade, pequeninha,rs...

♥ Quatro olhos que fitam... ♥

Imagem daqui

Quatro olhos desanimados
fitam lá fora fixamente...

Pensam pelo dono foram ali abandonados
_O que será de nós agora?

Ficam ali, quase imóveis,
apenas os olhos piscam ,vez em quando...

Triste sina desses cães
 que na rua não podem brincar...

Ali ficam, do depósito guardadores
 ninguém pode ali dentro chegar!

Quando lá ao longe, o jipe do dono aparece
a alegria retorna, se reestabelece...

Carinhos agora hão de ganhar
até os rabinhos, novamente irão abanar.

Eles precisam de companhia
carinho, água, alimentação...

Os donos para eles são a energia
que movimenta seus rabinhos e coração.

chica

* Achei linda essa imagem, me inspirei e reparem no olhar deles, um está no cantinho esquerdo da porta...


♥ A neblina, um chá e ... ♥



Casa de cima,
 casa lá em baixo...

Viúvo, só e abandonado,
na de baixo, morava Seu Quinzão!

Viúva e por isso triste, atormentada,
 na do alto, vivia Dona Fada...

Cada um com seu arado
 tratavam do terreno,bem conservado...

No verão, até se falavam,
 mas o trabalho,era muito, 
sempre cansavam...

Cedo dormiam, 
cedo acordavam
e a lida, retomavam...

Finzinho de outono
aquele , para D.Fada, parecia diferente ser...

Sentia algo em si modificado,
 precisava tanto de um querer.

O finado  falta lhe fazia
ainda que servisse apenas como companhia.

Amor entre eles já há tempo, havia morrido
agora, chorava, a falta de coragem, o tempo perdido...

Mas, algo dentro dela diferente pulsava...
Até o seu coração novamente  se atiçava...

Naquela tardinha, pela janela da casa olhou...
Viu a neblina baixando... 
Em seu rosto, uma lágrima sentida rolou...

Olhou para fora...
Foi até um velho espelho no banheiro...

Tomou um rápido e morno banho
 Passou até água de cheiro...

Criou coragem...
_Nada me fará ficar sozinha!

Pela cozinha , decidida passou...
Pega uma chaleira de chá que preparou...

Canela,cravo, laranjeira...
Ah, lembrou!
_ Um pouquinho de erva-cidreira...

Assim, decidida, o morro verde desceu.
Na mão a chaleira, no rosto, a coragem...
 Não perderia, por certo a viagem...

_ Boa noite,Seu Quinzão!
Vi a luzinha acesa, a chaminé fumegando...

Fiquei de lá imaginando...
Será que Seu Quinzão não vai gostar de comigo tomar uma chaleira de chá?

Ele, espantado, sorriu...
_Entre!  Entre logo!Aí fora já faz frio!

Ela entrou, a chaleira na chapa do fogão deixou para aquecer..
Ali, agora sentados e  um chá pela Fada preparado...
A magia deveria acontecer...

Enfim, entre conversas, chega a hora dela para casa voltar.
_ Olhe lá fora! Diz ele:
Essa cerração baixa e forte após o chá quente , pode sua saúde arruinar!

Porque não espera aqui, ficamos juntos, aqui no quentinho
podemos ter tanto para conversar...

Ela acanhada e "assanhada", com as bochechas ruborizadas
 o convite, feliz então,  aceitou...

O resto da história?
Por sob o manto da cerração ficou...

E, depois daquela noite,
nunca mais, nenhum dos dois, sozinho ficou!

chica

♥ Sincronia... ♥



Rosa  estava com o cotovelo bem machucado em decorrência de um grande tombo sofrido...Não podia nem nele tocar!

Apenas iniciando um  passeio com o marido, ao entrar no carro,  levanta o braço para arrumar o cabelo e ele, na mesma hora, levanta o seu para  colocar o cinto de segurança.

Sincronicidade...

E...Dor de cotovelo maior ainda!

Depois da dor, sorrisos e continuam juntos, unidos, para o passeio!

♥ Um botão... ♥



* Foto daqui: Fardilha's

Botão atrevido, sua casa deixou
saiu pelos caminhos
afoito
feliz,
aventureiro.

Passeou,
andou,
novo mundo conheceu...

Após passada a euforia
 da liberdade, naqueles primeiros dias,
 bem mais triste ficou...

Foi usado,
com ele brincaram
mas ao fim,
no chão, o largaram...

Ali, resta ele...
 Ainda lindo,
ainda brilha...

Sonha com uma nova casa?
Sonha em para sua velha, poder voltar?

Enquanto sonha, passa a vida...
O  tempo passa...

Seu futuro, ninguém há de saber!
Ele ali,  torce pelo melhor lhe acontecer!

Haverá futuro a lhe esperar?
Tem qualquer arrependimento?

Pensa em sua velha, primeira casa...
Pensa na sua mãe, naquele momento...

Ela certamente lhe diria:
Para minha casa, podes tornar...

Mas, ela já não está mais aqui....
Entre retalhos, foi enterrada...
Num canto qualquer, numa roupa doada...

Pensa na casa outra que deixou...
E  é a saudade dela agora, que lhe restou!

chica